AO VIVO

Por Renan Santos

O Pelotas disputou um clássico gaúcho contra o São Luiz pela Série D do campeonato brasileiro. Um confronto direto pela classificação, pois apenas um ponto separava as duas equipes. Os dois times vinham de vitórias na rodada anterior e tinham objetivos semelhantes. Ambos queriam vencer para se consolidar no G4 do grupo A8. A expectativa era de um confronto equilibrado e o que se viu foi, justamente, uma partida nivelada e que o empate foi justo, pelo nível de produção das duas equipes.

O Pelotas teve dificuldades no primeiro tempo. O Lobo jogou mais recuado e não conseguiu imprimir intensidade na pressão na saída de bola, que é um dos principais princípios de jogo do técnico Ricardo Colbachini. Nos 45 minutos iniciais, o São Luiz foi superior e criou mais. Na frente ofensiva, obrigou o goleiro Renan a fazer intervenções importantes e garantir o zero do marcador. O time ainda não teve força para sair no contra-ataque e não conseguiu ter um bom trabalho de circulação de posse.

O panorama mudou depois do intervalo. O técnico Ricardo Colbachini sacou Vini García e Marcão e apostou em Bruninho e Daniel Costa. Com as alterações, o Pelotas melhorou muito seu desempenho em Ijuí. Passou a pressionar a saída de bola do São Luiz com mais intensidade e passou a controlar mais ações. Foi mais parecido com o que se espera da equipe em termos de desempenho. Com Daniel Costa jogando de falso 9 e Bruninho atuando pelo lado direito, o Pelotas evoluiu ofensivamente e trabalhou melhor a posse. Juliano ficou mais participativo, Ramires conduziu as jogadas e distribuiu o jogo no meio-campo. A movimentação de Daniel Costa e a individualidade de Bruninho pelo lado deram mais potência ao ataque.

Vista a dificuldade que a equipe tem em fazer a bola chegar até Marcão, que é o centroavante titular, que tem características mais de área, esta variação tática pode se apresentar mais válida para o time. Marcão tem sido subaproveitado. Tem atuado mais no pivô, no trabalho de posse, de costas pro gol do que propriamente como um finalizador de jogadas. Neste contexto, Daniel Costa como falso 9 e com boas movimentações, com diferentes características, pode agregar mais ao ataque da equipe. A própria aproximação do meio-campo melhorou com estas mudanças.

Em relação ao primeiro tempo, o Pelotas melhorou. Evoluiu no segundo tempo, mas não foi suficiente para a vitória. O ponto conquistado no estádio 19 de Outubro foi importante. Comparando o desempenho da equipe contra o Novorizontino e a atuação contra o São Luiz, o time melhorou. Entretanto, ainda não foi suficiente para vencer. O desempenho do Lobo ainda precisa ser aperfeiçoado e o trabalho necessita de atuações mais convincente para consolidar a classificação para a próxima fase.