Por: Aline Klug

Relembrar personagens que fizeram parte de momentos importantes na história de um clube é uma das oportunidades que a quarentena está proporcionando. A escassez de futebol nos faz viajar no tempo, e a entrevista especial do Lance Rápido desta quinta-feira (21) trouxe o atleta Giancarlo, que fez parte da campanha vitoriosa do Pelotas em 2018, esta que resultou no acesso e no título da competição.

O centroavante chegou à Boca do Lobo em 2018 para a disputa da Série A2, vindo do CSA. Foi titular em praticamente todos os jogos e balançou as redes em seis oportunidades. Sua passagem no Pelotas terminou no início do Gauchão do ano seguinte e o jogador foi atuar no Sergipe.

No final de 2019, Giancarlo pensou em pendurar as chuteiras, com 37 anos e mais de 30 clubes na carreira, os objetivos do jogador passaram a ser outros, manter-se no meio do futebol, mas como treinador. Os planos precisaram ser adiados depois de uma ligação vinda de Farroupilha, e após receber uma proposta do Brasil de Farroupilha colocou o desafio de mais um acesso a frente de outros planos.

Já queria ter parado, mas os clubes ligam [..] vou para ajudar, não pela questão financeira, para ajudar a jogar futebol.

Sobre sua trajetória no Pelotas, o centroavante define em “muitas alegrias”. Afirma que a base do bom campeonato que elenco mostrou no acesso foi a boa relação com todos, funcionários e atletas, e que o sentido de “família” dentro de um clube é escasso.

Ele relembra as partidas da semifinal contra o Esportivo. O lobo foi derrotado em Bento Gonçalves e voltou com o placar negativo de 2×0, no jogo de volta conquistou a virada histórica por 3×0, que levaria o Pelotas ao a jogo que definiria acesso. Na segunda partida Giancarlo foi expulso ainda no primeiro tempo e viu da televisão do vestiário aquilo que seria um grande passo ao Gauchão 2019.

O centroavante fala que a semana entre os jogos de ida e volta foi a pior semana da Divisão de acesso. “Nós sabíamos da nossa força dentro de campo e dentro de casa” afirma ele, e ainda fala que o elenco sempre acreditou na reversão do placar.

O desmanche da comissão e elenco, principalmente com a saída de Rafael Farias e Neca, foi apontado pelo jogador como o principal motivo para que ele aceitasse a proposta vinda do Sergipe. A volta a Pelotas como um possível treinador daqui uns anos não é descartada, “vou retornar com certeza” afirma o jogador.

Por fim, o centroavante ainda faz uma comparação da equipe de 2018 com o elenco do Pelotas que disputava o Campeonato Gaúcho até a parada devido a pandemia, “O time da divisão de acesso ia estar brigando na parte de cima do Gauchão esse ano” brinca ele. E você, concorda com ele torcedor?

Imagem: Tales Leal

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)