foto: Tales Leal

Por: Aline Klug

Durante a pandemia, o mundo ganhou novos protagonistas, estes sempre estiveram em seus postos, mas neste momento delicado, a imagem deles tornou-se muito mais presente no nosso dia a dia. No futebol não está sendo diferente, a palavra destes personagens passou a ter maior importância. Com o esporte, aqui no Rio Grande do Sul, perto de uma volta, os clubes precisam adotar protocolos de saúde para que o retorno seja seguro aos profissionais envolvidos. E para falar sobre as medidas que serão tomadas pelo Pelotas quando as atividades forem retomadas, o Lance Rápido conversou com o médico do clube, Mauro Pavesi.

A liberação dos treinamentos depende do aval da prefeita Paula Mascarenhas, que atualmente segue sem a intenção de autorizar a volta às atividades. O Pelotas sustentava suas expectativas que a volta aconteceria após o decreto do Governo do Estado em que libera treinamentos em que clubes que encontram-se em regiões que possuem classificação até bandeira vermelha, caso de Porto Alegre neste momento . “Como médico, acho que está correto (decisão da prefeita), devemos ter cuidado até porque o futebol faz parte da sociedade assim como os outros seguimentos” afirma.

Segundo o médico, a preparação do lobo para a volta e, principalmente, visando a recepção de novos atletas, está sendo definida a partir de reuniões entre diretorias e departamento médico, além de conversas com a Secretaria de Saúde e a Prefeitura. “O Pelotas já está se preparando com um protocolo em relação a funcionários e jogadores, e todos frequentadores do clube em geral” afirma o responsável pelo DM. O documento que esta sendo elaborado com auxílio do material já apresentado da CBF e da Federação Gaúcha de Futebol.

Testagem

Outro ponto abordado é sobre a testagem dos atletas, segundo o vice-presidente do Pelotas, Luciano Alves, em entrevista a Rádio Universidade, foi afirmado que os testes, nos atletas seriam realizados antes de seus deslocamentos a Pelotas, em suas cidades. Pavesi separa a testagem em duas partes, como apropriadas: dia zero, quando ocorrer a testagem de funcionários, com visão na detecção se há ou já houve o contato com o vírus, em caso de resultado negativo no primeiro teste, sete dias após dias seria realizado um novo teste PCR. Após negativo nas duas oportunidades, poderiam ser iniciadas as atividades.

Outros pontos do protocolo

A diminuição do contato interpessoal e higienização de materiais e locais, além da medição de temperatura corporal de todos funcionários do clube sempre que entrarem nas dependências da Boca do Lobo, devem ser as principais medidas.

O médico ainda ressalta que as restrições apresentada no protocolo de todos os clubes também será preservada na avenida. Tais como: atletas chegarem aos treinamentos sempre fardados, evitar frequentar vestiário, assim como utilizar o máximo possíveis espaços abertos. Refeições não deverão ser feitas no clube, o acesso ao espaço de fisioterapia deve ser restrito a um atleta por vez.

%d blogueiros gostam disto: