Por: Aline Klug

A preparação de atletas neste momento de distanciamento social precisou adaptar-se, como vários elementos que envolvem nosso cotidiano. Profissionais e atletas estão longe, mas sempre conectados, afinal, o futebol pode voltar a qualquer momento e a parte física dos jogadores precisa estar pronta para aguentar o esporte de alto rendimento. Para falar sobre o trabalho que está sendo feito no seu atual clube, Internacional, e relembrar momentos à frente da preparação do elenco do Brasil, a Rádio Universidade conversou com o preparador físico, João Goulart.

João foi preparador físico do Grêmio Esportivo Brasil nos anos de 2017 e 2018. Em seu primeiro ano à frente da preparação do elenco rubro-negro, conquistou o vice-campeonato Gaúcho e uma boa classificação na Série B do Campeonato Brasileiro, um bom início para um belo trabalho.

Sucesso no trabalho e êxito atendendo as necessidades da torcida e do que o clube tinha desejado” define o profissional, sobre sua passagem pelo Bento Freitas.

Internacional

Antes de chegar ao Brasil, João trabalhava no Internacional, para onde seguiu depois de se despedir da comissão xavante. No sub-20 do time da capital gaúcha, foi campeão do estadual da categoria no ano passado e da Copa São Paulo de Futebol Júnior, onde após 22 anos o colorado voltou a conquistar o título da maior competição de categoria de base do país.

E não é só o elenco profissional que sofre com a parada do futebol, os meninos, que estão desde o dia 17 de março sem treinamentos presenciais são instruídos a seguirem uma doutrina de exercícios em casa. Para isso, uma cartilha foi elaborada pelo departamento de fisiologia do clube e entregue aos atletas com um planejamento para este período. As atividades são mensalmente atualizadas e há um controle da comissão quanto às exigências. Além de videoconferências e palestras com profissionais do esporte visando instruir os jogadores.

Segundo o preparador físico, os trabalhos estão sendo intensificados por conta de uma iminente volta do Campeonato Gaúcho. “Voltando o profissional, a gente também volta em seguida para dar suporte para o pessoal do profissional” afirma.

Pós pandemia

Por possuir uma experiência na preparação de jogadores de alto rendimento, João Goulart opina sobre como será a parte física de atletas, em geral, após a pandemia causada pelo novo coronavírus. “Quem vai sofrer mais são os clubes e equipes que tiverem elenco pequeno” declara ele, afirmando que a falta de uma variedade no elenco e consequentemente uma carência na reposição de atletas será um fator decisivo aos clubes neste atípico 2020.

O preparador ainda ressalta que o tempo de preparação para a volta dos campeonatos deve ser de no mínimo 3 a 4 semanas. E que o ano pode ser marcado por recuperações incompletas de jogadores devido calendário recheado, que deve ser formado por campeonatos estaduais, brasileiro e Copa do Brasil.

Passagem pelo Brasil

Além do bom 2017 rubro-negro, João fez parte do destaque xavante em 2018, a comissão técnica. Para o torcedor relembrar, o pequeno espaço entre campeonatos, que envolve férias e pré-temporada, visando o próximo ano, virou algo normal para o plantel do Brasil, que finaliza sua participação no campeonato nacional já pensando nos treinamentos para estadual.

Porém em 2018, o espaço curto e um elenco recheado de novos nomes, surgiu como um desafio à comissão coordenada pelo técnico Clemer. “A palavra desafio esta toda hora no nosso vocabulário. Realmente nós, naquele ano, além de Juventude, Grêmio e Internacional, terminamos todo mundo no mesmo tempo. Todos dizem que a dupla Gre-Nal tem pouco tempo para trabalhar, mas nós tivemos também pouco tempo para retomar o Gauchão” declara o preparador.

João ainda destaca que a perda de jogadores importantes foi o principal adversário do Brasil. “Enquanto Grêmio e Inter podiam rodar jogadores, perdemos Totti, Itaqui e Leandro Leite” afirma ele. Vale relembrar que enquanto o adversário do Brasil nas semifinais, o tricolor da capital, mantinha times mistos e um elenco rotativo no Gauchão, o Brasil foi com seu elenco “até o limite”.

%d blogueiros gostam disto: