Por: Aline Klug

O advogado do Sindicato dos Atletas do Rio Grande do Sul, Décio Neuhaus, conversou com a Rádio Universidade sobre as indefinições no calendário estadual e nacional e como isso afeta diretamente os jogadores.

Uma das perguntas que mais são abordadas entre torcedores, jogadores e dirigente é o futuro do Campeonato Gaúcho de 2020, sobre isso o advogado responde.

Tivemos reuniões com o presidente Federação Gaúcha de Futebol e não temos ideia se terminamos ou não. Se caso terminarmos o que vai acontecer com a divisão de acesso, por exemplo. Nossa preocupação é se não tiver possibilidade, vai ter ou não campeão, teriam ou não rebaixados.

Sobre a Divisão de Acesso que teve apenas 3 rodadas realizadas e de acordo com o calendário tradicional teria seu fim apenas em Junho, FGF e Sindicato também ainda não chegaram a um consenso.

A solução da divisão de acesso seria deixar a competição para o segundo semestre. Íamos deixar o campeonato parado por 3 meses, os atletas retornariam para casa e posteriormente retornariam as atividades, porém após a medida provisória do presidente (Jair Bolsonaro) que não admite a suspensão de contrato por 3 meses sem pagamento temos um problema. Deveríamos ser socorridos pela CBF.

Sobre a questão financeira dos clubes Neuhaus afirma que o Grupo Globo já repassou aos clubes 75% do valor definido e a Federação Gaúcha pagará no próximo mês a última parcela do valor combinado com os clubes.

Nós temos dirigentes sérios que estão preocupados com a questão salarial, mas dirigentes inconsequentes que estão colocando prolema em cima do coronavírus e não repassando esse valor aos atletas.

Há informações de que está sendo proposto que os atletas, neste tempo de pandemia, teriam uma redução de 25% em seus salários e receberiam 20 dias de férias. Quanto ao salário a resposta não foi definitiva, porém sobre o período de férias o advogado responde:

Estou preparando a resposta do nosso sindicato, assim como estão sendo ouvidos todos sindicatos de outros estados e um grupo de atletas em âmbito nacional. Quanto as férias os atletas não tem nada contra a não ser que sejam pagas .

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)