Educar para incentivar o diálogo e o convívio integrado em um ambiente plural foi o tema debatido na terceira edição do Dia Anec. Educadores de diversas escolas católicas da região estiveram reunidos mais uma vez para confraternizar e refletir o contexto desafiador do exercício da docência. Realizado neste sábado (10), O encontro ocorreu na Universidade Católica de Pelotas (UCPel) e Colégio São José.

Acompanhe a transmissão da Rádio do dia Anec:

 

Interação com os professores e participantes

 

O tema desta edição “Educar para o Diálogo” contou com palestra do bispo da Diocese de Rio Grande e diretor do Instituto Superior de Formação Humanística, Dom Ricardo Hoepers. O convidado destacou o contexto desafiador dos dias atuais, mas apontou alternativas, inspiradas especialmente nos hábitos simples de vida pregados pelo Papa Francisco.

“O Papa Francisco nos ensina em cada atitude que o simples da vida é o que nos torna felizes”, destacou. De acordo com Hoepers, o relativismo – ato de aceitar, mas sem integrar; o identitarismo – a não tolerância das diferenças, são os principais obstáculos a serem vencidos na promoção do diálogo.

A educação católica baseada no diálogo intercultural é uma alternativa, sustentou o bispo. “Através das bases teológica antropológica, focadas no entendimento do homem como pessoa; e da pedagógica, ensinando a compreender e a discutir a partir do ponto de vista do outro, poderemos avançar”, avaliou.

O Dia Anec, promovido Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (Anec), começou as atividades com uma missa celebrada pelo padre Luiz Boari na Capela do Colégio São José. Para os professores, o pároco falou sobre a pluralidade do ambiente escolar, espaço que deve ser voltado para a formação de corações e inteligência. “Somos consequência de muitas mãos e nos completamos”, disse.

A necessidade de manutenção do diálogo interpessoal num tempo em que se privilegia o uso das redes sociais foi lembrada pelo reitor da UCPel, José Carlos Pereira Bachettini Júnior. “A inteligência artificial que hoje domina o mundo vem ocupando papel preponderante do diálogo. O desafio de instituições como as nossas é de usarmos a boa ferramenta para consolidar os valores”, avaliou.

O Dia Anec em Pelotas contou com a presença do diretor presidente da Associação, irmão Paulo Fossatti. A proposta do evento é promover um momento de pausa e reflexão para os educadores. “É uma oportunidade de interiorização, em que os educadores podem refletir para qualificar o cuidado consigo e com seus alunos”, explicou.

Oportunidade para qualificação

Presentes no evento, os professores da UCPel, Adriane Mobbs e Daniel Botelho, avaliaram o encontro como uma ferramenta importante para a promoção da educação católica. “A educação católica acontece no dia a dia. Esse é um momento de trocar ideias com outros professores, conhecer e apresentar outras propostas”, comentou a docente.

Para Botelho, é importante revisitar o próprio processo de ensino e aprendizagem. “O distanciamento da sala de aula é fundamental para a construção do sujeito docente e o evento propicia esse espaço”, analisou.

Representante da UCPel na Anec, a pró-reitora acadêmica da UCPel, professora Patrícia Giusti, entende a atividade como um espaço para o diálogo de temas comuns de quem atua em instituições católicas. “É um momento de organizar o pensamento a partir da apresentação de temáticas que auxiliam para a formação integral dos nossos professores”, finalizou.

Redação: Rita Wicth – MTB 1410

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)